quinta-feira, 29 de maio de 2014

QUAL ERA A RELIGIÃO DE JESUS?



Demorou para meus amiguinhos voltarem, era semana de provas e então  nossos pais não deixavam a gente sair de casa.

Mas na outra semana, João e Isa chegaram trazendo Mateus, João havia contado a ele a historinha do pescador e depois como colocar o amor na vara de pescar, ele queria ouvir minhas histórias também.  

Estava friozinho e vovó mandou que ficássemos na sala, todos acomodados eu estava pensando que historinha iria contar, quando Mateus perguntou qual era a religião que Jesus ensinava.

Todos se aquietaram e olharam para mim, eu nunca tinha perguntado isto a vovó, então fui perguntar.

Vovó balançou a cabeça e disse :

­_Então hoje quem vai falar sou eu.

Acomodou-se bem no meio do sofá e com aquele seu jeito calmo, de quem não tem pressa, foi falando.

-Então, Mateus levantou uma questão importante. Alguém aqui pode responder?
Olhamos um para o outro e fomos balançando a cabeça de um lado para o outro.

Ela riu, e explicou:

_Crianças, Nosso querido Mestre Jesus, não fundou nenhuma religião nesta Terra. Jamais criou nomes para dar nome ao apanhado de seus ensinamentos, apenas veio mostrar a todos que a única forma de agradar a Deus, Nosso Pai e Criador, era através dos atos de amor.

Conta Mateus, apóstolos de Jesus, que um dia um homem perguntou a Jesus:

_”Mestre, qual é o grande mandamento na lei?”

“Respondeu-lhe Jesus: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento.
Este é o grande e primeiro mandamento.
E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo”. Mateus 22:37-39

Isa remexeu-se no sofá e mostrando que não gostara foi dizendo:
_Pronto já sei que tem apóstolo com nome de João e agora tem com nome de Mateus e com o meu nome?

Vovó riu e disse a ela:

_Meu anjo, só havia apóstolos homens e por coincidência temos dois xarás dos apóstolos aqui, mas sentir ciúmes Isa é desamor e não amor, ninguém tem culpa do nome que tem.

-Vovó está certa, não interrompe, senão não entendemos.

Vovó antes de continuar perguntou se Isa havia entendido e ela com as bochechas vermelhas balançou a cabeça que sim.

Então, vovó repetiu os dois mandamentos que Jesus falara como sendo os mais importantes e continuou:

-Meninos, quem ama a Deus e a seu próximo cumpre todas as outras leis.
Isto era o que mais Jesus ensinava e não só falava como mostrava, sua vida está recheada de exemplos.
Ele jamais disse que seus ensinamentos era uma religião, não nunca.

 Então, se vocês amarem a Deus e a seu próximo, vocês não se importarão se entre seus amiguinhos existirem alguns de religião diferente, só pescarão corações se o amor que colocarem na linha de pescar for puro, sem preconceitos.

 Lembrem-se quem criou as diversas religiões foi o Homem e não Jesus, os seus apóstolos também não criarão nenhuma religião, apenas deram o nome de Cristãos para quem acreditava em Jesus Cristo.

-Então, todos estão errados, vovó?

 _Não, Didi, nas religiões cristãs, todos creem em Cristo, mas cada qual entendeu o que ele ensinou de um jeito, do jeito que seus corações estavam preparados para entender. Por isto todos estão certos, só estão errados quando não aceitam os irmãos da religião diferente da sua e os julgam.

-Já entendi, vovó, agora posso ir no banheiro?

_Vai Mateus, enquanto isto vou buscar biscoitos e chega destes assuntos por hoje.
Vovó trouxe os biscoitos e guaraná e deixou a gente brincar de passa anel.

Bem, desta vez eu não sabia responder, ainda bem que vovó me salvou e assim eu aprendi também.

Didi


Luconi
29-05-2014

   

terça-feira, 27 de maio de 2014

COMO COLOCAR AMOR NA LINHA DE PESCAR?


Na saída da escola, os amiguinhos esperavam ansiosos por mim ,minha  vovó bem apressada, pediu para que falassem rapidinho.

Eles estavam alvoroçados, não tendo tempo pra falar, pediram para irem à minha casa, após o almoço,  muito curiosa pedi para vovó deixar, mas sabendo que ela sempre deixava, desde que não atrapalhasse as lições da escola.

Mal acabei de almoçar, lá eles estavam no jardim, corri para lá e sentei-me no gramado, 

João como sempre foi logo falando.

­­_Didi, hoje não queremos historinhas, queremos saber como se coloca o amor como isca na vara de pescar, lembra que você falou que é assim que Jesus pescava homens?

Comecei a rir, também perguntara a mesma coisa à vovó, que sorte foi bom, agora tinha a resposta.
Fiz carinha de quem sabe tudo, com o dedinho no queixo.

_Deixa-me ver se me lembro como é.

_Pronto, agora vai fazer charme- falou Isa impaciente.

_Não, não vou não, vou explicar como vovó me explicou.

_O amor não se coloca em linhas de pescar como estas dos pescadores, o amor à gente coloca nas coisas que fazemos e que falamos, e ele só pesca homens se for sincero, não só pra fazer tipo sabe?

_ Sei você está falando para fazer do jeito que o coração manda, não para aparecer.

_Isto mesmo João, vou dar uns exemplos:

Na hora do recreio, quando algum coleguinha não levou lanche e dividimos o nosso com ele com alegria, praticamos um ato de amor.

Num lugar onde estamos sentados e não tem mais poltrona vazia, quando um velhinho chega e nos levantamos cedendo o lugar de forma carinhosa, é um ato de amor.

Quando alguém adoece e mamãe vai visitar e leva carinho e atenção não deixando o doente se sentir sozinho, é um ato de amor.

Quando bate a nossa porta alguém pedindo um prato de comida e vovó com carinho prepara e coloca num lugar limpinho e a ele oferece com um lindo sorriso, é um ato de amor.

Existem muitos atos de amor, estes atos são as linhas que servem para pescar homens, corações, agora se fizer os atos só para aparecer, então a linha é falsa e não pescamos nada.

Isa que gostara muito do que ouvira, disse contente:

-Legal, vou correndo falar ao papai e mamãe, pois ontem quando perguntei para eles não sabiam como colocar o amor na vara de pescar. Didi pede para tua vovó preparar uma linda historinha e contar para você, que amanhã eu e o Joãozinho voltamos para ouvir.

Nesta hora dona Gina a vovó de Didi, chegou com um cesto cheiinho de pipoca e refresco de laranja.

-Vamos crianças, andei ouvindo e adorei o assunto, então agora comam e brinquem um pouquinho para arejar a cabecinha.

Todos aplaudiram a ideia, e Isa não deixou de falar, Dona Gina está pondo amor na sua vara de pescar.


Luconi
27-05-2014

segunda-feira, 26 de maio de 2014

PESCANDO HOMENS




Certo dia, estávamos todos sentados no gramado de casa, quando um dos meus amiguinhos me disse se eu sabia contar histórias.

Dei risada, só as histórias de mamãe e vovó.
Logo João, perguntou se eram chatas?
Mamãe e vovó não me contam histórias chatas, elas o fazem na hora que vou dormir, sempre me contam histórias verdadeiras.

-Então, conta uma para sabermos se valem a pena – fala a Isa.
-Vou contar uma pequena:

Caminhando à beira do mar da Galileia, Jesus viu dois irmãos:
Um dia nesta terra viveu um homem que se chamava Jesus. Caminhava falando de Deus para todos de sua cidade e das outras. Certo dia, Ele caminhando viu dois irmãos que eram pescadores, Ele gostou muito daqueles irmãos. Um se chamava Simão, e um chamado André, eles estavam recolhendo as redes do barco.
Então Jesus que era um pescador diferente disse a eles: “Segui-me, e eu farei de vós pescadores de homens”. (Matheus, 4, l9)

João muito curioso perguntou:

-Nossa, como se pesca homens?

-Ora João, vovó disse que ao invés de minhoca se usa amor.

Mas, continuando, os dois irmãos largaram tudo o que faziam e foram com Jesus.
Mamãe disse que mais tarde Jesus trocou o nome de Simão por Pedro, mas isto é outra história.

Isa que estava caladinha pediu:
Então, amanhã você conta outra história?

Claro, eu gosto muito assim relembro e nunca vou esquecer as histórias de mamãe e vovó.


Logo, Dona Margarida, mãe da Didi, a chamou para entrar, assim foi que começou as histórias de Didi.

Luconi
25-05-2014
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...