terça-feira, 30 de dezembro de 2014

GRATIDÃO








Vovó estava descansando, quando ouviu meus amiguinhos chegarem, na discussão que estávamos tendo, João reclamava que a tia que sempre o auxiliava com as contas de dividir, na última semana de aula, disse a ele que estava muito corrido para ela e não iria poder naquela semana auxiliá-lo. Ele dizia, por culpa dela, acabei tendo minha nota rebaixada, pois a lição de matemática daquela semana foi entregue com algumas contas erradas.  

_Coitada, disse Isa, ela fazia um favor a você e você se acomodou, senão teria aprendido quando sua tia corrigia e explicava pra você aprender.

Vovó apareceu e foi falando:

­_João, João, alguma vez você a agradeceu pelo tempo que perdia com você?

_Não vovó, ela me ensinava porque queria, eu não tive a ideia, ela que teve.

_Ah! João, é bem feio ser mal agradecido e mais feio ainda jogar a culpa de nossos erros, fraquezas, em cima dos outros.

Sentem-se crianças, vou contar um conto que nos mostra a gratidão em ação.

_Somos todos ouvidos, vovó. Fui falando e me acomodando e eles também, formamos uma roda, enquanto vovó sentava em uma cadeira bem no meio da roda.

-Pois bem, preste a atenção, porque tem tuas lições este conto.


Certa vez, um homem, por detrás do balcão, olhava a rua de forma distraída. Uma garotinha se aproximou da loja e se encantou com um colar que vira na vitrine. Entrou na loja e pediu para ver o colar azul turquesa.

“É para minha irmã, pode fazer um pacote bem bonito?”
O dono da loja olhou desconfiado para a garotinha e lhe perguntou:
“Quanto dinheiro você tem”?

Sem hesitar, ela tirou do bolso da saia um lenço todo amarradinho e foi desfazendo os nós. Colocou-o sobre o balcão e feliz disse:
“Isso dá?”
Eram apenas algumas moedas que exibia orgulhosa.
“Sabe quero dar este presente para minha irmã mais velha. Desde que mamãe morreu, ela cuida da gente e não tem tempo para ela. É aniversário dela e tenho certeza que ficará feliz com o colar que é da cor de seus olhos.”
 O homem foi para dentro da loja, colocou o colar em um estojo, embrulhou com um vistoso papel vermelho e fez um laço caprichado com uma fita verde.

“Tome!” – disse para a garota. “Leve com cuidado.”

Ela saiu feliz, saltitando pela rua abaixo.
Ainda não acabara o dia, quando uma linda jovem de cabelos loiros e maravilhosos olhos azuis adentrou a loja. Colocou sobre o balcão o já conhecido embrulho desfeito e indagou:
 “Este colar foi comprado aqui”?
“Sim, senhora.”
“E quanto custou?”
“Ah, o preço de qualquer produto da minha loja é sempre um assunto confidencial entre o vendedor e o cliente.”
A moça continuou:
“Mas minha irmã tinha somente algumas moedas! O colar é verdadeiro, não é? Ela não teria dinheiro para pagá-lo.”

O homem tomou o estojo, refez o embrulho com extremo carinho, colocou a fita e o devolveu à jovem.
“Ela pagou o preço mais alto que qualquer pessoa pode pagar. Ela deu tudo que tinha.”- disse o vendedor.

O silêncio encheu a pequena loja e duas lágrimas rolaram pela face emocionada da jovem enquanto suas mãos tomavam o pequeno embrulho.

_Bem, meninos, esta história mostra a grande gratidão que a pequena menina tinha pela sua irmã mais velha, que cuidava da família depois da partida da mãezinha.
Mostra também, que para aquele que tem muito o caro se torna barato, por que em nada ele se sacrifica. Agora para quem tem muito pouco, até o muito barato é um preço muito alto, por isto a menininha pagou um preço altíssimo pelo colar, deu tudo o que tinha, mas não se importou, pois o seu amor havia gerado uma gratidão enorme para com a irmã.

_Sabe meninos, não existe nada mais triste do que a ingratidão.  A sua tia por lhe querer bem o ajudava, era sua a obrigação de estudar e aprender não dela, no entanto parece que você não mais se preocupava se errava ou acertava por que a sua tia iria corrigir o que estivesse errado, o esforço dela nada adiantou uma vez que você nem prestava atenção ou punha em pratica o que ela ensinava. Então quando ela não pode você ainda a culpou pelo que você errou na lição.  Está certo isto?

João envergonhado, disse que pediria desculpas a sua tia e já ia indo embora, mas vovó já com dó da raspança que lhe dera falou:

_Espere aí, afinal no lanche hoje temos aquela torta de banana que você adora, coma e depois vá falar com a sua tia, ela ficará feliz.

Nossa vovó é demais, tem uma historinha para cada situação, bem vamos comer a torta, estão servidos?

Obs.: o autor do conto é desconhecido.

Didi
25-12-2014

Luconi

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

COMEMORANDO O ANIVERSÁRIO DE JESUS



Amiguinhos estou aqui depois de um mês de ausência, é que  este mês os preparativos para o aniversário de Jesus são muitos, vovó e mamãe se desdobram para acabarem de preparar as roupinhas que fazem para as crianças. São crianças das comunidades mais pobres, vovó tem sempre como descobrir número de crianças, meninos e meninas,então ela que desde o início do ano vem ajuntando retalhos de tecidos, que são doados pelas costureiras do bairro, passa a confeccionar, vestidinhos, bermudas, camisetas, para as crianças, nem sempre os retalhos dão para tudo, mas vovó também ajunta dinheirinho todo mês, um pouquinho para completar o que falta. 

Então ela costura o ano todo, devagarinho, sem pressa, mas sempre falta alguma coisa, então no último mês ela não tem tempo pra nada e mamãe nas horas de folga ajuda. Papai faz coleta entre os colegas de trabalho e os amigos para conseguir tênis para todos. Quando vovó vai a comunidade sempre descobre algumas crianças novas e ela as inclui. 

Também amigos, vizinhos, o povo que frequenta o centro kardecista, todos se unem para pedirem a quem conhecem alimentos para formarem uma cesta, têm o cuidado de distribuirem uma lista para que as cestas tenham os mesmos produtos. 

Brinquedos? Bem, este ano fomos nós, euzinha, João, Isa e Matheus que erguemos as mangas e pedimos a todas crianças do bairro, andamos muito, primeiro pedindo e depois indo buscar, muitos brinquedos ganhamos, praticamente novos, brinquedos quebrados nós rejeitávamos, não adianta brinquedo que não funciona, melhor um simplesinho do que um chique e danificado. 

Claro que os pais de nossos amiguinhos participaram de tudo e os presentes às crianças ficaram prontos, uns quatro dias antes tudo estava completo. 

Então, na véspera, fomos todos bater porta a porta e para distribuí-los, dividimo-nos em grupos, éramos quatro grupos, cada grupo formado por uma família, a nossa, a do João, a do Matheus e a da Isa, claro que nosso amigo Vicenzo ajudou na preparação, mas não pode ir entregar por que tinha que preparar o natal da Ong em que trabalha. 

Todos os grupos, batiam à porta, entregavam a oferta e claro que faziam uma prece a oportunidade de serem úteis, lembravam a todos que era o aniversário de Jesus que ia ser comemorado e o melhor presente que existe para o Mestre é o amor que distribuímos. 

Nossa! Nunca havia ido com vovó na distribuição, os outros anos era só a nossa família e então a oferta era menor, mas este ano foi muito bom. 

No final, ao voltarmos pra casa todos estavam radiantes, em seus olhares havia uma luz especial e como a  mãe de Isa ,Dona Bela disse, estávamos com a alma saciada, repleta de amor. 

Nossa ceia? Bem, não deu muito tempo para cada família preparar a sua, então cada uma preparou um prato doce ou salgado e nos reunimos lá em casa e a meia noite, todos de mãos dadas, vovó falou:


Obrigada Jesus, por dar-nos a oportunidade de abraçar tantos irmãos no dia de hoje, o nosso presente é a nossa consciência tranquila e pedimos que no próximo ano tenhamos condições de nos unirmos mais vezes aos irmãos da comunidade, quem sabe um dia todos seremos a mesma família e faremos lá a festa de Seu aniversário. 

Depois colocou este lindo filme que deixo para vocês assistirem, e sentirem a magia que o AMOR MAIOR tem.

QUE O NATAL SE FAÇA TODOS OS DIAS DE NOSSAS VIDAS. 


 

VALE A PENA ASSISTIR ETERNAMENTE LINDO


Este texto foi inspirado em um ser humano lindo que tem a humanidade como seus irmãos, Dona Vilma, que há sete anos voltou à pátria espiritual, imagino quantas sementes de amor e fé espalhou e ainda espalha nos corações carentes do puro amor. 

DIDI


Luconi

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...